domingo, 30 de agosto de 2009

O mundo além de mim.


Quando eu era criança gostava de observar prédios durante horas. Sentava e observava as janelas. Quem aparecia para pendurar roupas, falar ao telefone na varanda, observar o céu...
Confesso que preferia as portas e janelas fechadas. Gostava de imaginar a história por trás elas. Que tipos de pessoas moravam ali, o que gostavam de fazer em tardes de tédio.
É interessante demais o fluxo que faz as pessoas serem tão diferentes, levarem vidas tão diferentes em um lugar igual. A mente humana sempre me interessou muito, a vida sempre me pareceu um filme interessante. Desses que a gente pode ver, mas não tocar. Eu a assisto passar, analiso os variados modos de observa-la. Porém não pense você que eu não mordo a vida com vontade, mordo sim. Gosto de marcar, de ser especial para alguém. Especial de um jeito curto e bom, cheio de impacto mas fácil de ir embora, como uma lembrança em uma manhã de domingo. Nem que esse alguém apenas me assista passando pela janela do meu quarto, ou escute o som dos meus discos fluírem através dela. Gosto de me sentir presente. A força está no momento presente.
Hoje passei boa parte da manhã pensando sobre o quão egoísta muitas vezes somos ao amarmos as pessoas. Amamos quem pode nos oferecer características que apreciamos. Um bom senso de humor, sinceridade, beleza, dons e outros destes. Senti vontade de amar todas as pessoas. Das mais complexas as mais simples. Eu quero amar os extremos. Nós precisamos amar as pessoas pelo o que são e não pelo que de bom elas tem a nos oferecer. Somos vítimas de vítimas. Não escolhemos nossos pais, nem o jeito deles nos criarem, e nem nossos pais escolheram os pais deles. Gostaria de ter todo tipo de gente perto de mim, até as que todos julgam como erradas antes de observarem o próprio umbigo. Essa diversidade me encanta de um jeito incrível. O olhar humano é apaixonante, quase conseguimos ver criancinhas indefesas presas a um corpo adulto.
Eu sou uma eterna apaixonada pelos diferentes modos de viver nesse mundo místico de espaço tão curto, tão paranormal e inexplicável. Seria tão mais fácil se o amor fosse simples e comum entre os homens. Veja bem, não me refiro a posse, afeição, paixão, nada disso. Refiro-me ao amor, a real vontade de fazer alguém feliz. Outra coisa que me passou a cabeça: Afinal, que vício é esse?! que moda louca é essa de vender para o mundo que temos necessidade de sermos felizes a todo custo. A felicidade para mim é como uma festa de poucos minutos. Mas isso não significa que não possamos buscar o equilíbrio e termos paz espiritual. A felicidade está nas coisas simples da vida, no que não se vê. Mesmo assim é um tema amplo que para cada ser existente apresenta-se de um jeito diferente.
Quando cansamos de pensar e algo fica a nível consciente, chegamos a um lugar que felizmente não tem volta: A conclusão. Quantas tarefas inacabadas você tem pra concluir? No mínimo já deve ter a resposta na ponta da língua. E agora eu te pergunto: O que é você? Talvez falaria sobre suas características, sentimentos e erros. Diria que sua mãe engravidou do seu pai em uma barraca de acampamento ou sei lá onde e sobre infinitas histórias do seu passado. Tanã, aí está você. Lendo t-u-d-i-n-h-o. Você surgiu sem mais nem menos, deixará de surgir sem menos nem mais. Olha-se no espelho todas as manhãs e pensa que o que vê é o reflexo mais comum do mundo. Nós nos acostumamos com o que somos e em como o mundo funciona. Infelizmente a maioria de nós não acredita naquela famosa frase "Quer mudar o mundo? comece por você", mas ela é mais real do que pensamos. Lembra uma frase de Che Guevara que tenho paixão. "Podem arrancar uma flor, muitas flores, mas não deterão a chegada da primavera." Se cada pessoinha tivesse em mente o quão importante é se perceber no outro. Sentir a dor do outro, rir da alegria do outro... nossa! acredito que um pouco do paraíso estaria entre nós. Sabe, sem querer dar uma de bordão da Globo, experimente isso. Talvez não mude o mundo inteiro, mas as pessoas certamente terão amor por você. Nem que seja sorrindo para as pessoas na rua, dê um pouco de você. Vamos provar para nós mesmos que não somos tão egoístas.
Gente, eu juro que não estou tentando bancar o livro de auto ajuda ambulante. A mensagem aqui é simples: Aprimore-se como ser humano.
Ela já está mudando, o amor a faz mudar.
Os olhos mudavam de cor ao suspirar. A felicidade era explícita, os momentos não tinham fim. Ela se sentia frente à frente aos seus sonhos mais impossíveis. O tempo parecia pausar junto com a sua respiração. Por trás dos olhos negros, existiam sentimentos que devoravam sua capacidade de expressão. Seus mistérios se dissolviam na escuridão dos seus maiores medos. Ele sabia como a manter feliz. Já se fazia muito tempo que não surgia um sorriso confiável em seus lábios. A suave coloração pela face não a permitia um esconderijo. E quer saber? Ela não queria mais se esconder. Ela queria que o tempo não existisse. Ela só quer viver sem pausas, agora que o conhece... Quando o sol penetrava na sua pele pálida, conseguia sentir um instante de volúpia em existir. Ela tinha outro dia, dentro da sua eternidade interna. Sorrindo sem mais nem menos, ela quer amar a vida cada vez mais. E quer amar você, do jeito que você é.

7 comentários:

Ricardo disse...

Pois é, ainda tem bastante gente que não enxerga a vida por esse lado, que fala que podem conseguir tudo sozinhos. O egoísmo ainda existe.

Ivan disse...

exatamente.
concordo.
"Sentir a dor do outro, rir da alegria do outro..."
tá em falta.

Michelle Lima Simões disse...

"Ela já está mudando, o amor a faz mudar."

Simplesmente isso, Paulinha.

Fiquei muito tempo sem vir aqui. Por que troquei os móveis, a porta de entrada, a foto na parede. Estamos em obras. Dentro. Sabe como né? Mas já te resgatei.

Beijo, beijo.

Thyago disse...

"Gosto de marcar, de ser especial para alguém."

E eu que sempre digo que não me incomodo com nada, só não suporto o sentimento de passar pela vida de alguém sem fazê-la um pouquinho melhor.
Certa vez uma menina, amiga de uma ex minha, decidiu que não ia mais falar comigo... e me ignorava plenamente. Isso me incomodava taaaaanto u.u
Mas, obviamente, a vida fez a sua parte e a jogou na mesma turma em que eu estava no curso de inglês, e aí eu fiz a minha parte ^^ (hoje ela fala comigo normalmente xD)

By the way, já notou, como todo mundo cita as suas frases? Gente que escreve bem é assim, faz todo mundo querer dizer suas palavras... =P

Sobre o amor, eu não sei bem o que dizer, acho que é natural que queiramos pessoas com quem nos identificamos perto de nós, mas acho também que a gente pode muito bem querer o bem de todos os outros. E isso eu faço.

Ah.. tem coisa demais pra se comentar nesse texto e eu tenho que sair =/

Acho que vou começar a passar na sua casa só pra comentar os seus posts, pq preciso de muito tempo pra isso ahuahuahu

Anitha Rosenrot disse...

Fico feliz que existam pessoas com pensamentos assim no mundo,são inspiradoras e nos trazem um pouquinho de esperança na existência.
Sempre gostei de observar os prédios,as janelas vizinhas...Estava para escrever um texto sobre isso, gostei de encontrar alguém com um olhar semelhante ao meu! :D
Lindas palavras,moça!

Samantha P.S. disse...

Palavras mais que sábias, sinceras.
Eu queria que amar fosse mais fácil que na teoria. Amar um defeito alheio, junto com as coisas que dão orgulho... Sem ser egoísta com o que não infla nosso ego.
É difícil acreditar que todos valem a pena, que o amor instantâneo supera a decepção constante e por aí vai. Mas como você mesma já escreveu, não dá pra viver em função da Felicidade, pois ela é feita de momentos que chegam e passam, ela é só o presente que a vida dá de recompensa, né? :)
Uma boa dica pro mundo: AME!

Anônimo disse...

É menina.... sempre soube que você era doce. Acho que estou presenciando um milagre da natureza, quando aquela lagartinha amarga e triste se torna uma borboleta exuberante capaz de arrancar suspiros de apaixonados.

Tenho a certeza que um dia você ouviu uma promessa: "Confia em mim, você será feliz".
É... Parece que está acontecendo

Postar um comentário